A FACE REAL DA MILÍCIA


BANDIDOS INVADEM CASA DE JUIZ






















Criminosos roubam e depredam imóvel de magistrado que mandou prender grupo de PMs


Rio - Bandidos invadiram ontem, por volta das 14h30, a casa do juiz André Ricardo Francis Ramos, no Centro de Nova Iguaçu. Há uma semana, ele foi responsável por decretar a prisão de 58 policiais militares do 15º BPM (Duque de Caxias) e de um agente penitenciário, acusados de envolvimento com o tráfico de drogas em Caxias. De acordo com o delegado titular da 52ª DP (Nova Iguaçu), Orlando Zaccone, os criminosos ficaram pelo menos duas horas na residência, período em que quebraram portas, janelas e armários. Na saída, levaram apenas o celular da mulher do magistrado.

Ela havia chegado em casa meia hora antes e se preparava para tomar banho quando percebeu que havia dois ou três homens estranhos no imóvel. Sem que fosse vista, conseguiu entrar no banheiro da suíte do casal. Francis Ramos estava de plantão no Fórum de Caxias quando decretou a prisão.

“Nosso objetivo agora é identificar os bandidos. Já conversei com a vítima e ela tem condições de fazer pelo menos um retrato falado”, afirmou Zaccone. Em busca de digitais dos invasores, peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) foram acionados para o local. À noite, Zaccone foi à casa do juiz para conversar com o casal. Depois, os dois seguiram até a delegacia para prestar depoimento.

Uma das medidas do delegado será pedir a quebra do sigilo telefônico do celular da mulher do juiz, levado pelos criminosos. A polícia não descarta que a invasão tenha relação com a decretação da prisão por 30 dias dos policiais militares.


SEGURANÇA REFORÇADA

Após o incidente, por determinação do comandante da Polícia Militar, coronel Ubiratan Angelo, três viaturas do Batalhão de Choque foram deslocadas para fazer a segurança da casa do juiz.

O corregedor-geral da Justiça, Luiz Zveiter, também conversou ontem com Francis Ramos ao saber do ataque. De imediato, acionou a assessoria de segurança do Tribunal de Justiça. Zveiter ordenou que a segurança do juiz e de sua família seja reforçada por policiais que também prestam serviço ao Tribunal. O corregedor não descartou a hipótese de pedir o reforço da Polícia Federal (PF).

Para Zveiter é possível que a invasão tenha relação com a prisão dos PMs, porém ressaltou que ainda é cedo para se ter certeza do motivo. “Minha preocupação nesse primeiro momento é com a garantia da vida do juiz”, disse o corregedor.

A prisão dos militares foi a maior já registrada numa mesma unidade. No período da investigação, cinco juízes passaram pela 1ª Vara Criminal de Duque de Caxias, onde corre o caso.


MAIS UM POLICIAL DETIDO POR SUSPEITA DE LIGAÇÃO COM TRÁFICO

Mais um policial militar foi preso pela 59ª DP, acusado de receber dinheiro de bandidos para permitir o tráfico de drogas nas favelas Santa Lúcia e Parada Angélica, em Caxias. O cabo Marcelo dos Santos Gonçalves, do Serviço Reservado (P2) do 15º BPM, estava de serviço na quarta-feira quando foi informado do mandado de prisão. À noite, ele foi levado para o Batalhão Especial Prisional (BEP).

Até ontem, 58 policiais militares haviam sido presos por suspeita de participar do esquema de propina com criminosos. O agente penitenciário e PM da reserva Emerson de Barros Azevedo e o cabo Darniei Marques Moreira chegaram a ficar detidos, mas foram liberados por não terem sido reconhecidos por testemunhas.

Ontem, a Corregedoria da PM instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as acusações contra os policiais. A demora para investigação interna aconteceu, segundo informações da instituição, porque era preciso anexar documentos de todos os envolvidos.

Os policiais são acusados de receber entre R$ 2 mil e R$ 3,9 mil semanais para permitir o funcionamento das bocas-de-fumo. O delegado André Drumond diz ter escutas telefônicas de todos os suspeitos.

Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão