Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2009

WILSON SIMONAL E A HISTÓRIA OFICIAL, CONVENCIONAL OU REAL? A REAL CERTAMENTE INCOMODARÁ ALGUM PODER...

Imagem
A Folha de São Paulo publica neste domingo um dossiê sobre o caso Simonal. São pesquisas e reportagens feitas pelo jornalista Mário Magalhães.


PROCESSO A QUE A FOLHA TEVE ACESSO EXPLICITA COLABORAÇÃO ENTRE CANTOR E O DEPARTAMENTO DE ORDEM POLÍTICA E SOCIAL; EM VIDA, ARTISTA DESMENTIA VÍNCULO COM ÓRGÃOS DE SEGURANÇA


É um banho de informação.

Simonal 3.540/72


MÁRIO MAGALHÃES

DA SUCURSAL DO RIO


Wilson Simonal de Castro, um dos mais talentosos cantores do Brasil em todos os tempos, declarou formalmente em 1971 que era informante do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), a polícia política do antigo Estado da Guanabara.

Seu depoimento na polícia foi avalizado reiteradamente em processo judicial por seu advogado Antonio Evaristo de Moraes Filho.

A declaração de Simonal e a confirmação de Evaristo nunca foram divulgadas -conhecem-se apenas as manifestações de proximidade do artista com o Dops, mas em público ele negava ter sido informante.

A Folha teve acesso ao processo 3.540/72, do qual c…

POLÍCIA NÃO DÁ TRÉGUA À MILÍCIA

Imagem

MORADORES SÃO MORTOS POR TRAFICANTES EM REPRESÁLIA ÀS MILÍCIAS. QUEM MANDA NO RIO?

Imagem

QUINZE MORTOS EM DUAS SEMANAS. DOIS ERAM PMs. POLÍTICA DE SEGURANÇA OU DE EXTERMÍNIO?

Imagem
Quinze pessoas foram mortas em duas semanas no conjunto de favelas da Maré






No conjunto de favelas da Maré, no subúrbio do Rio, a violência tem tirado o sono dos moradores nos últimos dias. Em menos de duas semanas, 15 pessoas foram mortas durante confrontos entre traficantes e policiais.
As últimas sete mortes foram registradas na quinta (11), durante uma operação do 22º BPM (Maré). A ação foi para checar uma denúncia anônima de que traficantes estavam escondidos na comunidade.

Durante a ação, houve troca de tiros. O sargento Ítalo da Silva Leal, de 38 anos, o tenente Alexandre Alves Lima, de 31 anos, e outros cinco homens, que, segundo a polícia, seriam ligados ao tráfico de drogas, morreram no confronto. Saiba mais: Dois PMs e cinco suspeitos morrem durante operação no subúrbio Medo de confrontos na Maré deixa mais de 10 mil alunos sem aulas Escolas e crech…

PEC: UM ATO DE COVARDIA

Imagem
Um ato de covardia.*



"Acusada por advogados, promotores e juízes de "institucionalizar o calote público", a PEC dos Precatórios agora também está sendo duramente criticada pelas agências de classificação de risco. Uma delas, a Austing Rating, chegou a anunciar que rebaixará a nota de crédito do governo de São Paulo e da Prefeitura da capital se o Congresso aprovar as novas regras para pagamento de quem tem créditos a receber de Estados e municípios resultantes de decisões judiciais. Os "rating" de países, Estados e municípios medem o risco de inadimplência e são usados como parâmetros na concessão de empréstimos. Em regra, quanto menor é a nota, maiores são os juros.

Como o governo estadual e a Prefeitura da capital estão entre os principais defensores da PEC dos precatórios, não causa estranheza o tom com que seus dirigentes reagiram à decisão da Austin Ratings. Tentando desqualificá-la por meio de ofensas, o governador José Serra a acusou de estar a serviço d…

CRIMINALIZAÇÃO DA POBREZA

Imagem
Estudo mostra que número de homicídios de jovens sobe junto com aumento da desemprego


RIO, 16 de maio de 2009 - Desemprego e morte. Duas palavras que estão associadas a uma faixa etária cheia de vida: os jovens de 15 a 29 anos. Estudo da economista Roberta Guimarães mostra que a falta do emprego e a ociosidade (fora da escola e sem trabalho) estão intimamente ligados ao aumento de assassinatos na faixa etária mais produtiva: a cada 1% de aumento na taxa de desocupação da população jovem, há alta de 0,5% na taxa de homicídios na mesma faixa etária. A ociosidade tem um efeito ainda mais direto: se cresce em 1%, as mortes violentas acompanham. É o que mostra reportagem de Cássia Almeida publicada no GLOBO deste domingo.


De 1992 a 2005, período de análise do estudo, o número de homicídios saltou de 7.197 para 12.309 ao ano, uma alta de 71%. A população de desempregados cresceu exatamente na mesma proporção: de 625.180 para 1.077.216, um incremento de 72,3%. Nas dez maiores regiões metropoli…

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO MANIPULA NÚMERO DE HOMICÍDIOS

Imagem
Governo de Sérgio Cabral manipulou número de homicídios


Ex-diretora exonerada de Secretaria de Segurança do Rio, acusou o Estado de diminuir o número de assassinados, não contabilizando os autos de resistência e registrando encontro de cadáveres, corpos carbonizados e ossadas não como assassinatos.
A ex-diretora do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro, a antropóloga Ana Paula Miranda, fez uma denúncia na última quinta-feira (18), contra o governo do Rio de Janeiro.
Esta, que foi expulsa da secretaria em fevereiro, depois de, à época, ter participado da divulgação de um número recorde de assassinatos no Rio, acusou o governo de Sérgio Cabral de manipular os dados sobre homicídios feitos por policiais publicados posteriormente no estado. Em seguida à sua exoneração, os homicídios registraram uma queda de 8,8%.
Segundo a antropóloga, que fez a declaração durante o 2º Fórum Violência, Participação Popular e Direitos Humanos nesta quinta-feira (18), na PUC-Rio, a manipulação…