quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho.
Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso.
Um cara amigo, leal, com coração enorme como ele, um coração que se preocupa com a injustiça, com o cara que está na rua sem teto, com o mendigo que cata resto de comida nas lixeiras da cidade, com o futuro das crianças, com a solidão dos velhos, com as vítimas da violência, da fome, dos que tiveram suprimida a esperança.
Conhecer meu filho é conhecer a essência do humanismo, a pureza das crianças, o onirismo dos idealistas, a nobreza de um guerreiro nagô.
Meu filho é um homem especial, um ser humano incrível, uma pedra valiosa e rara.
Os problemas mais complexos ele consegue equacionar numa ação que muitos levam anos, décadas para compreender: vivendo.
Ele me ensinou que viver nem sempre é mergulhar na vida da forma como compreendemos, ansiosos, como aprendi com meus avós, nos tornando náufragos na ansiedade que se transforma em mar.
Para ele, viver é um ato simples que requer pouco, muito pouco, como sentar na areia e olhar o mesmo mar no qual os outros naufragam, com outro olhar, para perceber a bóia, o banco de areia, ou aprender a boiar.
Viver para ele é sinônimo de liberdade. De respeitar a liberdade. De lutar pela liberdade daquilo que você crê.
E de ser feliz na simplicidade de ser livre.
Acho que acima de tudo meu filho tem a sabedoria que abandonamos na adolescência, sonhar.
Por isso o admiro tanto, e dele me orgulho tanto.
Independente de quais sejam nossos objetivos, se não estivermos impregnados por nossos sonhos, nada valem.
E meu filho me ensinou isso com a técnica mais sutil dos sábios: o amor.
E o fez com o amor mais bonito que um ser humano pode amar.
O mundo e a vida, sem ele, seriam mais pobres.
Você conhece meu filho? Ótimo para você.
Não conhece? Que pena! Sabe aquele cara que se torna o personagem inesquecível? É ele. Torça para encontrá-lo!
Ele não vai te tratar diferente do que trata qualquer criança.
Vai tratar igual, com o mesmo carinho e atenção, porque a base de suas relações é simplesmente o amor.
Conhecer meu filho deixa qualquer um mais rico, mais doce, mais humano e, principalmente, mais feliz.
Como eu sou por fazer parte de sua vida.
Obrigado, meu filho.
Por tudo!
Te amo.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Condenação de Lula não o torna culpado

                                                                                                                                                             

Uma condenação judicial pode fazer do inocente, mártir.  

Jamais, culpado.

domingo, 2 de abril de 2017

Quando um juiz não é Magistrado


Magistrado é aquele que, intimamente convencido, independente de forças externas ao processo que exijam a condenação, absolve ainda que colidindo com a vontade dessa maioria; e, igualmente condena, ainda que todos clamem pela absolvição de um réu, fundamentando sua decisão, em ambos os casos, de forma trasnparente como a imagem que se vê através de um espelho de cristal. Não fazendo dessa forma, é apenas alguém que ocupa uma das funções sociais mais importantes para a democracia, de forma ditatorial, pequena e arbitrária. Magistrado é aquele que se tiver que colocar condenados em liberdade, quando a prisão não apresenta condições mínimas para a execução da pena com dignidade humana, não teme fazê-lo diante da opinião pública ou midiática. Já aconteceu isso algumas vezes no Brasil. Sem advogados não existe democracia, é correto. Mas sem magistrados, ela nem nasce, e, se nascer, morre ao primeiro suspiro. No Brasil, regra geral, quando a mídia aponta para um juiz, ele é magistrado é a está contrariando. Quando não é, é Moro.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Castigo


Castigo


Ocupas minha memória
em retalhos
que vou recolhendo
enquanto costuro uma história
eterna e inacabada,
que tem alicerce no nada,
para desembocar em sonhos
que levam
a lugar nenhum.

Te dei todo amor que eu tinha.
Tu, não tinhas nada.


Teu castigo não é ser vazia!

É o nunca ter sentido
amor algum...


Rio, 1 de Janeiro de 2017.


(Primeira visita do ano)

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...