FEZES DE POMBO MATAM HOMEM EM CURITIBA



Homem de 40 anos morre após ser contaminado por fungo de fezes de pombo em Curitiba




CURITIBA, 2 de junho de 2009 - m homem de 40 anos morreu em Londrina, no Paraná, depois de ter sido contaminado com o fungo criptococus, que é encontrado nas fezes de pombos. O serralheiro Márcio Marcos Kovaleski, 40 anos, morreu no sábado em razão do comprometimento de todo o sistema neurológico. Kovaleski estava internado na Santa Casa havia 97 dias.


A família de Márcio acredita que o serralheiro tenha contraído o fungo no início do ano, quando esteve com mais frequência na região do Bosque Central. De acordo com o irmão Vicente Kowaleski, Márcio era sadio, mas enfrentava uma crise de depressão que o deixou mais vulnerável a infecções.


- Ele estava com a imunidade baixa e foi o suficiente para o fungo entrar pela narina e atingir o cérebro dele. Que sirva de alerta porque a população corre risco permanente - afirma.


Desta forma, a família contesta a declaração da Secretaria municipal de Saúde, que em março disse que Kovaleski trabalhava em uma madeireira e poderia ter contraído o fungo pelo contato com o pó da madeira. O fungo pode ser encontrado em madeira, frutas secas, em fezes de pombos e morcegos e no solo.


A morte do serralheiro ocorreu em um momento em que a administração municipal anunciou medidas para combater a superpopulação de pombos na cidade. Entre as ações, a Secretaria de Ambiente (Sema) apresentou algumas alternativas para amenizar as consequências do desequilíbrio ambiental que elevou a população das aves no município, como a fiscalização da disponibilidade de comida, tanto a alimentação direta quanto os restos de alimentos deixados por vendedores ambulantes, testes com aves de rapina e abate de pombas na zona rural.


O prefeito de Londrina, Barbosa Neto (PDT), que foi ao velório de um conhecido no mesmo cemitério no qual era velado Kovaleski, ao saber da morte decidiu solidarizar-se com a família e prometeu providências mais enfáticas. "Não é possível continuarmos com esse problema absurdo", afirmou.


O secretário da Sema, Carlos Levy, que acompanhava o prefeito no velório, disse que vai acelerar a implantação das medidas de controle das aves na cidade. "É algo que há 20 dias não sai da nossa pauta". Como medida paliativa para o Bosque, o secretário afirmou que por enquanto é a lavagem intensiva do local. A secretaria está realizando um mapeamento dos pontos mais críticos do município. Levy disse que espera acessar informações sobre o paciente, para confirmar se pombos ou outros agentes podem ter provocado a criptococose.


O secretário municipal de Saúde, Agajan Der Bedrossian, disse que a Vigilância Sanitária irá a campo coletar dados sobre a morte do serralheiro - inclusive laudos com a causa da morte. O corpo de Kowaleski foi enterrado na tarde deste domingo.

Pois é. Já imaginaram uma pandemia de gripe aviária?



Fonte: O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão