DITADURA EM HONDURAS: O PRIMEIRO VAGIDO!




Exército de Honduras invade e tira do ar emissoras de TV e rádios locais.



TEGUCIGALPA - Soldados do Exército de Honduras invadiram e tiraram do ar na madrugada desta segunda-feira a emissora hondurenha Rádio Globo e o canal de TV 36, horas depois que o governo interino anunciou medidas para silenciar meios de comunicação que apoiam o presidente deposto, Manuel Zelaya, disse o diretor da emissora.

O governo interino de Honduras emitiu um decreto que permite suspender os meios de comunicação que atentem contra a paz e a ordem pública, após o golpe militar que derrubou o governo de Zelaya há três meses.

Um funcionário do alto escalão do governo interino disse neste domingo que o decreto, que já está em vigor, proíbe ainda a liberdade de circulação e associação por 45 dias.

De acordo com o ministro do Interior, Oscar Matute, a liberdade de expressão pode ser restringida para preservar a segurança nacional.

- Não se trata de restringir a liberdade de expressão, mas se houver um veículo que esteja incitando o ódio e a violência é nosso dever dar um basta - disse.

No domingo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o Brasil não vai atender ao governo interino de Honduras, que deu prazo de dez dias para uma definição sobre a situação de Zelaya, abrigado na embaixada brasileira desde que retornou a Tegucigalpa, há uma semana. Caso contrário, o governo de Micheletti ameaça retirar a imunidade diplomática da embaixada brasileira no país, segundo informou comunicado da chancelaria hondurenha divulgado na noite de sábado, em Tegucigalpa.

Segundo Lula, a solução para o caso seria Zelaya voltar ao poder e convocar eleições.

Após se reunir com presidentes sul-americanos e africanos, Lula afirmou não acreditar na possibilidade de a embaixada brasileira em Tecucigalpa, em Honduras, ser invadidas por forças e militantes golpistas. Lula afirmou que nem nas ditaduras mais fortes isto aconteceu.

- Nem a ditadura de Pinochet (Augusto Pinochet, ditador chileno na década de 70), que foi a mais sangrenta de todo o continente, violou uma embaixada - disse o presidente.


Jobim: Guerra contra Honduras é 'inviável'

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta segunda-feira, no Rio, que toda a negociação do sítio à Embaixada brasileira em Honduras está sendo feita pelo Ministério das Relações Exteriores, e que está descartada qualquer solução que envolva a sua pasta.

- Isso só ocorreria se declarássemos guerra, o que é inviável - declarou.

Jobim comentou, ainda, acreditar em uma solução negociada para a crise no país da América Central e que, na pior das hipóteses, o Itamaraty terá que acionar um plano para retirar os brasileiros que vivem em Honduras. Segundo o ministro, isso aconteceria sem maiores problemas.


Fonte: Agências internacionais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão