POLÍCIA MATA MAIS E PRENDE MENOS: 961 EM 2007.


Número de mortos pela polícia sobe 21% em setembro

Foram registradas no mês 91 mortes; no ano, já são 961



O número de mortos em confronto com a polícia subiu 21,3% em setembro, em relação ao número de pessoas mortas pela polícia no mesmo mês de 2006. Segundo balanço das ocorrências criminais, divulgado nesta segunda-feira pelo Instituto de Segurança Pública, foram registrados em setembro 91 autos de resistência, contra 75 no mesmo mês do ano passado.

No ano, já são 961 mortos - 154 a mais que o registrado entre janeiro de setembro de 2006 (aumento de 19%). Das 91 mortes em confronto em setembro, 76 ocorreram na capital.

O aumento no número de mortes em confronto contrasta com a diminuição do volume de ocorrências policiais. O número de prisões, por exemplo, caiu de 1.196, em setembro de 2006, para 1.085, em setembro deste ano. No período de janeiro a setembro, foram efetuadas 10.215 - 2.894 ou 22% a menos que o total registrado no mesmo período do ano anterior (13.109). Ou seja, a polícia está matando mais e prendendo menos.

Caiu também em setembro o número de ocorrências de apreensão de drogas (de 901 para 562) e o de apreensão de armas (de 1.089 para 681).

No mês de setembro, morreram em serviço 2 policiais. De janeiro a setembro foram 22 mortos contra 24 no mesmo período de 2006.

Segundo o governo do estado, as análises dos índices são preliminares e podem sofrer alterações na medida em que sejam consolidados os Registros de Ocorrências lavrados nas Delegacias Tradicionais.




Número de homicídios cai 13,9%


Todas as demais ocorrências registraram queda no estado, com destaque a diminuição de 13,9% dos homicídios dolosos. No mês de setembro, foram registrados 283 homicídios, consolidando um total de 4.030 mortes no ano - 650 a menos que as 4.680 registradas no período de janeiro a setembro de 2006. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, houve uma queda de 18 % ou menos 499 vítimas.

Destacam-se ainda a queda dos registros de extorsão (- 35,1%), com menos 410 casos; os de atentado violento ao pudor (-20,7%) ou menos 295 vítimas e os de ameaça (-15,7% ) ou 7.491 casos.

No acumulado do ano, chama a atenção o aumento do delito de roubo a transeunte subiu 14,7%, com mais 3.994 casos em relação ao mesmo período do ano anterior. Auto de resistência apresentou alta de 19%, com mais 154 mortos.

Na Região Metropolitana houve aumento, entre outros, em roubo a transeunte, com mais 4.851 casos (15,3%) e lesão culposa de trânsito, com mais 594 vítimas.

Na capital fluminense apresentaram aumento percentual, em comparação ao mesmo período do ano anterior, os registros de roubo a transeunte (17,7%, ou mais 3.942 casos); lesão culposa de trânsito (12,4%) com mais 1.339 vítimas, e homicídio culposo de trânsito, que subiu 12,5%, com mais 72 vítimas.

As maiores quedas de registros da Capital foram de extorsão, com menos 38,1% ou 266 casos, atentado violento ao pudor, que caiu 28,9%, tendo menos 160 vítimas e roubo de veículo que teve queda de 15,6% ou 2.889 casos.

A íntegra do balanço pode ser conferida no site do Instituto de Segurança Pública.


by Darlan Alvarenga


Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão