Nova UPP no Morro da Providência, sem tiroreios a Policia Militar já se encontra na comunidade



(Faixas como essa, nunca mais)


Moradores aprovam UPP na Providência, mas têm receio da volta de traficantes


Segundo IBGE, mais de 130 mil pessoas vivem na comunidade da Gamboa. Escolas, creches e comércio funcionam normalmente nesta segunda (22).


Moradores e comerciantes do Morro da Providência, no Centro do Rio, aprovam a ocupação da comunidade pela polícia, na nova Unidade de Polícia Pacificadora. A maioria tem esperança de dias melhores, mas com medo do que já viveram, ainda têm receio de conversar abertamente sobre a situação na favela.

Veja o vídeo do RJTV

“Moro na Providência há 40 anos e tenho um filho com Síndome de Down. No final do ano, as trocas de tiros eram intensas e eu quase não conseguia sair de casa para levá-lo à escola. Espero que a UPP tenha vindo para ficar”, contou uma mulher, de 57 anos, que, com medo, não quis se identificar.

Nascida e criada no morro, uma aposentada de 69 anos, que também prefere permanecer incógnita, diz que está feliz pelos netos e sobrinhos. “Agora eles vão poder brincar e jogar bola na quadra sem correr risco. Nós também ficaremos mais tranqüilas em casa”.


'Nos sentimos mais seguros', diz morador


Os donos de bares também estão otimistas. “Os policiais entram no estabelecimento para conferir se realmente só tem funcionário e cliente aqui dentro. Estão fazendo o trabalho deles e nós nos sentimos mais seguros”, disse o dono de um bar próximo à quadra da comunidade.

Segundo o último Censo do IBGE realizado no morro, em 2008, cerca de 130 mil pessoas vivem no local. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) ocupou a favela na manhã desta segunda-feira (22). A entrada dos agentes é o primeiro passo para a instalação da sétima Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na cidade.


UPP chega em abril

A nova Unidade de Polícia Pacificadora, no Morro da Providencia será instalada até final de abril, na Gamboa, Centro do Rio, segundo o comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Coronel, Paulo Henrique Guimarães.

Para comandar a UPP, o coronel adianta que o escolhido é o capitão Sidney Ferreira, que há cinco meses trabalha na comunidade, no Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais (GPAE).

O prédio do GPAE deve servir de base para a instalação da UPP. Ainda de acordo com o comandante do Bope, a ocupação não tem tempo para terminar e conta com 95 homens do Bope e 150 agente do Batalhão de Choque da Polícia MIlitar.


Detidos

A favela foi ocupada pelo Bope na manhã desta segunda-feira (22). Segundo a polícia, não houve troca de tiros e pelo menos quatro pessoas foram detidas.


Liana Leite Do G1, no Rio


Obs. do BLOG: Os traficantes eram os donos da comunidade, reveja clicando AQUI


Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão