O BOPE, a UPP, e um exemplo de policial

Foto Globo.com

Reencontro com a missão de policial

Sargento do Bope ferido por uma granada no Pavão-Pavãozinho em 2006 comove o País com depoimento ao final da novela ‘Viver a Vida’


Rio - No final de 2006, o sargento PM Glebson Ferreira de Lima, 39 anos, chegou a dar por encerrada sua carreira depois de perder a visão do olho direito,ferido por uma granada em operação no Pavão-Pavãozinho, em Ipanema.

O explosivo provocou ainda fratura exposta no braço direito. Hoje, três anos depois, ele se tornou um exemplo de superação e, com firmeza, afirma: “estou pronto para defender a sociedade”.

Sargento Glebson voltou ao trabalho há um ano. E sua história chamou a atenção de quem assistiu, na noite de segunda-feira, 8/1/2010, aos momentos finais da novela ‘Viver a Vida’. O trauma foi superado de vez dia 19 de janeiro, ao voltar ao Pavão-Pavãozinho para a festa de 32 anos do Batalhão de Operações Especiais (Bope), onde é lotado.

Até então, ele não tinha mais pisado no morro. “Soube que ia lá dois dias antes. Fiquei tenso. Não estava muito preparado ainda, mas fiz um trabalho de reflexão e concluí que tinha que vencer essa barreira”, contou ele.

Antes de o militar entrar na comunidade, aconteceu o inevitável. “Na subida, vieram as lembranças do dia do confronto. Não me senti bem, mas ao ver as crianças, relaxei e fiquei feliz”, lembrou ele, que até jogou videogame. Glebson também ajudou a organizar a festa, que só foi possível devido à instalação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Quando foi ferido, o policial chegou a passar 33 dias internado. Três deles no CTI. Foi lá que recebeu a prótese, imperceptível, no olho. Mas a principal ajuda para vencer as consequências do ataque, ele contou, vieram da família. “Eles me deram muita força porque sabiam que seria ruim para mim deixar a PM. Entrei para a corporação por amor a esse trabalho”, disse o sargento, que está há 13 anos na corporação, 10 deles no Bope.


Por MariaInez Magalães.


Fonte O Dia Online

Comentários

nadinha disse…
admirável a garra do glebson,parabéns a ele e a todos que o tens por perto.

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão