Poder Paralelo: bandido carioca "proibe" pipas na Ilha do Governador

"Fernandinho Guarabu impede até campeonatos no Cocotá e no Dendê depois que parente se feriu com cerol"

Badido "proibe" pipas na Ilha


Por Francisco Edson Alves



Rio sem lei, 4 de fevereiro de 2010 - As crianças das favelas dominadas pelo Terceiro Comando Puro (TCP) na Ilha do Governador estão proibidas de empinar pipas. A ordem foi dada há pelo menos três semanas pelo traficante Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, 31 anos, chefe da facção criminosa, sobretudo nos morros do Dendê e Cocotá.
A decisão da proibição, segundo testemunhas ouvidas por O DIA, foi tomada depois de um suposto primo do bandido se cortar no pescoço com uma linha de cerol (mistura de cola com vidro moído aplicada no fio). Irritado, Guarabu mandou seus subordinados espalharem na região que quem desrespeitar a determinação será torturado e executado.

Ontem, equipe de O DIA percorreu as imediações de nove comunidades — Dendê, Cocotá, Cacuia, Tauá, Ribeira, Zumbi, Freguesia, Bancários e Parque Royal — e em nenhuma delas havia pipas no céu. “É mais uma afronta de Guarabu aos moradores e à polícia. Proibir nossos filhos de soltar pipas é o fim da picada! Eles passaram o fim das férias sem poder brincar com o que mais gostam”, desabafou o pai de um garoto de 10 anos, que mora no Cocotá.


‘DUELO’ CANCELADO

A revolta dos moradores é ainda maior porque o Cocotá costuma sediar grandes concursos de pipas. É na Praça Manoel Bandeira que são realizados os famosos Duelos de Gigantes, torneios envolvendo representantes do Rio e São Paulo. As imagens dos animados “confrontos” de pipeiros dos últimos cinco anos estão na Internet. “O próximo campeonato está suspenso. O aviso veio do alto do Dendê (principal reduto de Guarabu). E ai de quem desrespeitar”, comentou um vendedor de pipas da Ilha.

A 37ª DP (Ilha do Governador) vai investigar as denúncias e o 17º BPM (Ilha) informou que rondas de policiamento ostensivo estão sendo feitas para garantir a segurança de quem quiser soltar pipas.

Bandido tem histórico de arbitrariedade

Não é a primeira vez que Fernandinho Guarabu toma atitudes radicais contra moradores da Ilha. Desde 2004, ele teria banido rituais de umbanda, candomblé e espiritismo nas favelas sob seu domínio. Guarabu e seu comparsa Gilberto Coelho Oliveira, o Gil, comandam ‘exército’ de mais de 100 homens, que contam com arsenal poderoso de armas pesadas e não letais, como a Taser, que aplica choques elétricos. O bando costuma eliminar inimigos de forma violenta, às vezes esquartejando-os.

O traficante chama a atenção pela facilidade que tem de escapar de cercos da polícia, que desde 2000 tenta prendê-lo.

Fonte: O Dia

Comentários

Tetsuo disse…
Finalmente um criminoso fez algo de bom! Pipas, fora! Pelo bem de nossos pescoços!

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão