NÃO HOUVE HOLOCAUSTO NA ALEMANHA?






Bispo que negou Holocausto pede desculpas ao Papa










CIDADE DO VATICANO - Um bispo tradicionalista que despertou ira entre judeus ao fazer declarações negando a existência do Holocausto pediu desculpas ao papa Bento XVI por ter causado "embaraço e problemas desnecessários".

Mas o bispo, Richard Williamson, não se retratou ou retirou os comentários, que ele classificou como "imprudentes" em carta postada nesta sexta-feira em seu blog e enviada ao Vaticano há dois dias.

Williamson - um dos quatro bispos cujas excomungações foram canceladas pelo Papa no último sábado, após 20 anos afastados - disse em entrevista à televisão sueca há uma semana: "Eu acredito que não houve câmaras de gás".

O bispo disse ainda que não mais que 300 mil judeus morreram em campos de concentração nazistas, ao contrário dos 6 milhões estimados pelos principais historiadores.

A entrevista, gravada em novembro, causou alvoroço entre líderes judeus e católicos progressistas, muitos dos quais consideraram que a conversa colocava em risco o diálogo de 50 anos entre judeus e cristãos.

Entre os que condenaram a entrevista estavam sobreviventes do Holocausto, o rabinato supremo de Israel e o escritor judeu e vencedor do Prêmio Nobel Elie Wiesel.

Na carta endereçada ao cardeal Dario Castrillon Hoyos, oficial do Vaticano responsável pelos contatos com o movimento tradicionalista, Williamson disse: "No meio desta grande tempestade midiática causada pelos meus imprudentes comentários na televisão sueca, eu imploro para que você aceite, respeitosamente, meu sincero pesar por ter causado a você e ao santo padre tamanho embaraço e problemas desnecessários".

Williamson, um britânico, não mencionou o Holocausto e não repudiou seus comentários, como queriam muitos judeus.

O Papa Bento XVI expressou sua "total e inquestionável solidariedade" com os judeus na quarta-feira, em uma tentativa de diminuir a crise.

Williamson e outros três bispos foram expulsos há 20 anos quando foram ordenados sem a permissão do papa João Paulo II, iniciando a primeira divisão na Igreja em tempos modernos. O Papa Bento XVI cancelou as excomungações no último sábado, numa tentativa de pôr fim à divisão.

Comentários

sandra disse…
olha, os maiores campos de concentração que mataram os judeus foram fora da alemanha, como por exemplo matou-se mais judeus na Polonia, mas teve campo de concentração na Alemanha sim, como por exemplo em Auschwitz, onde o Hitler nunca pos os pes la.A Gestapo torturou muita gente, alias este era o papel da Gestapo, tortuta, eles enviavam os judeus para os campos de concentração e quem executava os judeus era a ss(Tropa de elite do Hitler).
sandra disse…
olha onde mais se matou Judeu foi na polonia, houve holocausto na alemanha sim, nao tinha muitos campos de concentração, um deles era o de auschwitz onde hitler nunca pos os pes la.A gestapo torturava as pessoas que nao concordava com o regime, a gestapo enviava os judeus para os campos de concetração e a SS(tropa de elite do Hitler) executava os judeus, isto no mundo todo, mas teve sim alguns campos de concentração na alemanha, mas aonde mais matou judeu foi na polonia.

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão