terça-feira, 19 de janeiro de 2010

De um lado do Haiti, o desespero, de outro, luxuosos cruzeiros


De um lado do Haiti, o desespero, de outro, luxuosos cruzeiros


RIO, 19 de janeiro de 2010 - A menos de 100 quilômetros da área devastada pelo terremoto no Haiti, cruzeiros luxuosos atracam em praias particulares onde passageiros aproveitam variados coquetéis, e passeios de Jetski, parasail, entre outras atividades. Mesmo com a tragédia, que pode ter deixado 200 mil mortos, a rotina dos transatlânticos não foi alterada. O gigante Independence of the Seas, da Royal Caribbean International, desembarcou na sexta-feira no resort Labadee, refúgio que conta com forte esquema de segurança, ao norte da costa haitiana. Já o Navigator of the Seas, que conta com 3.100 passageiros, está marcado para chegar à região nos próximos dias, informou o jornal "Guardian".

A empresa americana aluga a paradisíaca ilha do governo haitiano para passageiros que querem relaxar com esportes aquáticos, churrascos, e fazer compras de souvenires em pequenas lojas no local durante o dia. A segurança é garantida por homens armados na entrada.

A decisão de manter a programação causou polêmica. Os navios levam ajuda com alimentos e a empresa afirmou que vai doar todos os lucros da viagem aos haitianos. Mas muitos passageiros permaneceram a bordo quando o navio atracou.

"Não consigo me ver pegando sol em uma praia, nadando, comendo churrasco, e aproveitando um coquetel, enquanto em Porto Príncipe há dezenas de milhares de corpos sendo empilhados nas ruas, com sobreviventes desesperados procurando por comida e água", disse um passageiro em um fórum de discussão na internet.

"Já foi difícil o suficiente sentar e comer um lanche em Labadee antes do terremoto, sabendo quantos haitianos passavam fome", afirmou outro internauta. "Não me imagino comendo um hambúrguer lá neste momento".

Alguns passageiros de navios programados para atracar na ilha temem que pessoas desesperadas invadam o resort para conseguir comida e água, mas outros parecem estar determinados em aproveitar as férias. "Estarei lá na terça-feira e planejo aproveitar a minha excursão e o meu passeio", disse uma pessoa.

"No fim, Labadee é fundamental para a recuperação do Haiti. Centenas de pessoas dependem de Labadee para sobreviver", disse John-Weis, vice-presidente da companhia. "Em nossa convera com o enviado especial da ONU ao Haiti, Leslie Voltaire, foi dito que o país iria se beneficiar com os lucros gerados em cada passeio. Também temos oportunidades tremendas de usar os navios para transportar suprimentos. Simplificando, não podemos abandonar o Haiti no momento em que mais precisam de nós".


Fonte O Globonline

Nenhum comentário:

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...