Justiça de Honduras é porta voz do medo





Justiça exime de culpa seis militares envolvidos em golpe em Honduras


Honduras, 26 de janeiro de 2010 - Um juiz de Honduras liberou de responsabilidade penal os seis comandantes militares que participaram do golpe de Estado de junho em Honduras, e que haviam sido acusados de abuso de autoridade e expatriação ilegal do presidente deposto Manuel Zelaya, segundo a sentença divulgada pela imprensa local.



O juiz Jorge Rivera, da Corte Suprema de Justiça (CSJ), resolveu "livrar da responsabilidade penal os senhores" militares "acusados de abuso de autoridade contra a segurança do Estado" pela expatriação de Zelaya a Costa Rica após o golpe de Estado de 28 de junho, diz a nota da resolução divulgada nesta terça-feira.

O juiz, que atua como presidente da maior autoridade judicial hondurenha, argumentou que "antes e depois da captura de Zelaya, os acusados receberam informação de que o país corria um perigo grave, real e iminene não apenas na ordem institucional mas também quanto à perda numerosa de vidas humanas".

Zelaya havia convocado para o dia 28 de junho um referendo popular com o objetivo de reformar a Constituição para permitir a reeleição presidencial, proibida pela Constituição.


Fonte: AFP e G1


Nota do Blog: Ficam manifestos o medo e a subordinação da justiça hondurenha aos golpistas militares. Nem com o recado do povo: "Nós temos medo porque não temos medo", escrito nas ruas envergonhadas de Tegucigalpa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

A guerra perdida: 31 vítimas de bala perdida em 31 dias, no Rio de Janeiro.

A França não merece perdão