terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Rio: o mal maior. Grupo de milicianos é preso por assalto em Campo Grande.












Com metralhadora, revólveres e pistolas, bando teria roubado carro e foi perseguido

Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 2010 - O grupo do miliciano Francisco César de Oliveira, o Chico Bala, sofreu uma grande baixa. Sete suspeitos de integrar o bando foram presos ontem à tarde depois de praticarem um assalto em Campo Grande, na Zona Oeste.

O bando foi detido por volta das 17h30 por policiais militares do 40º BPM (Campo Grande), no cruzamento da Estrada do Lameirão com a Estrada da Posse, enquanto fugiam após assaltar o Pálio de uma idosa perto do West Shopping. Nenhum deles, segundo a polícia, ofereceu resistência.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, eles haviam roubado o veículo por volta das 14h, em frente ao número 451 da Rua Almirante Grenfell, também em Campo Grande. A vítima ligou para a PM, que perseguiu o bando pelas ruas do bairro.

Além do Palio roubado, eles ocupavam um Honda Fit prata, placa KUX 4683, e estavam com dois revólveres, três pistolas e uma metralhadora. Fernando Costa Júnior, 35 anos; Adriano Santos Lima, 29; Neuci Leandro da Silva Souza, 27; Leandro Duarte dos Santos, 27; Marlon Leandro Souza Conceição, 21; Renan Brandão da Conceição, 20, e Elisandro Ferreira, 26, integrariam o grupo de Alexandre da Silva Nascimento, o Popeye, um dos aliados de Chico Bala.

Popeye é apontado pela polícia como o suspeito de ter liderado o ataque a um posto da Polícia Militar em Itaboraí, em março do ano passado. Na ocasião, um policial militar morreu e outro ficou ferido. O caso foi registrado na 35ªDP (Campo Grande).

GUERRA DURA MAIS DE 3 ANOS

O bando de Chico Bala é rival da Liga da Justiça — grupo paramilitar comandado pelo ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho. A polícia investiga se, em dezembro do ano passado, a Liga teria ordenado o assassinato de três cobradores a serviço de Chico Bala.

A guerra entre as duas quadrilhas começou a partir de desentendimentos pelo controle do transporte alternativo na Zona Oeste. Em 2007, a família do ex-PM foi alvo de um atentado na Região dos Lagos, planejado pelo ex-policial civil André Luiz Malvar, genro de Jerominho. Na época, a mulher e o enteado de Bala foram assassinados. Um ano depois, ele trabalhou como informante da polícia.


Fonte O Dia.

Nenhum comentário:

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...